09 maio 2013

Paula Huven - o que nos une, o que nos separa | FotoRio 2013


A Galeria de Arte IBEU inaugura no dia 15 de maio, às 19h, as exposições “Como me tornei insensível”, de JORGE SOLEDAR, e “O que nos une, o que nos separa”, de PAULA HUVEN, ambas com curadoria de Fernanda Lopes. As mostras estão integradas ao FotoRio 2013 – Encontro Internacional de Fotografia do Rio de Janeiro e ficarão abertas ao público de 16 de maio a 7 de junho, das 13h às 19h, de segunda a sexta, com entrada franca. 

Em o que nos une, o que nos separa a artista mineira PAULA HUVEN apresenta sua produção realizada no Rio de Janeiro, entre 2007 e 2012. Essa é a primeira exposição individual de Paula Huven no Rio de Janeiro e foi um dos sete projetos premiados no Edital de Exposições do Ibeu 2013. Os quatro trabalhos que fazem parte da mostra revelam o pensamento da artista acerca da fotografia, utilizada como um dispositivo para criar encontros e relações. A artista usa a fotografia não só para produzir imagens, mas para lançar olhares entre as pessoas e a câmera e, consequentemente, entre elas e si mesmas.

O trabalho que dá nome à exposição reúne uma série de retratos feitos em longa exposição, utilizando filmes vencidos há seis anos. As relações com as pessoas fotografadas se desenvolveram enquanto os traços desse mesmo tempo eram depositados nos filmes vencidos. Os retratos surgem como uma espécie de licença para entrar nas casas das pessoas, a partir da sensação de ausência de encontros no Rio de Janeiro nesses espaços de maior intimidade.

Já em Relações (2007), as relações triviais vividas no comércio local do Leme, bairro onde a artista morava, são o mote para a troca de retratos em Polaroid com os comerciantes, que tecem um mosaico para seu reconhecimento na nova cidade. O jogo entre fotógrafo – fotografado é relançado em Encontro com autorretrato, em que a artista registra seu próprio encontro com sua representação - a pintura de seu autorretrato feita por uma amiga.  Este é o jogo que a artista sempre nos propõe: o embate entre sujeito-imagem.

O livro-objeto Insensíveis traz paisagens narradas, fotografias que não foram sensibilizadas à luz e existem através das palavras, para serem imaginadas a cada leitura, enquanto o livro é folheado e cada pessoa tenta ver as palavras nas páginas translúcidas.

Paula Huven nasceu em Belo Horizonte, em 1982. Mestre em Arte e Cultura Contemporânea (UERJ, 2012), participou do Programa Aprofundamento 2012 da Escola de Artes Visuais do Parque Lage. Exposições: Abre Alas 8, Galeria A Gentil Carioca (RJ, 2012); II Semana da Fotografia de Belo Horizonte (2012); ao mesmo tempo (Sala Arlinda Correa Lima, Palácio das Artes, BH, 2009), Bebel Tiquira (EAV Parque Lage, RJ, 2009), entre outras. Foi assistente de Miguel Rio Branco [2008 – 2010]  e trabalha como fotojornalista colaborando para Folha de S.Paulo, O Globo, O Tempo e Estado de Minas. 


GALERIA DE ARTE IBEU – FotoRio 2013
“Como me tornei insensível” - JORGE SOLEDAR 
“O que nos une, o que nos separa” - PAULA HUVEN 
Abertura: 15 de maio de 2013, às 19h 
Exposição: 16 de maio - 7 de junho
Horário de visitação: segunda a sexta, de 13h às 19h 
Endereço: Av. N. Sra. Copacabana, 690 - 2º andar – Copacabana
Tel.: 3816-9400 / galeria@ibeu.org.br